Nosso Contato

41 3077-5060 De segunda a sexta das 8h às 18h / sábado das 09h às 12h


Ecodoppler venoso dos membros inferiores

exame_membros_inferiores

É um exame não invasivo que utiliza os ultrassons de modo a adquirir informações sobre a anatomia, fisiologia e a patologia do sistema venoso superficial e profundo.
Desde a sua introdução em 1960 os ultrassons foram rapidamente aplicados à medicina, contribuindo enormemente para a precisão e rapidez do diagnóstico e do tratamento subsequente. Fácil de executar, mas difícil de interpretar, a ecografia, posteriormente associada à codificação a cores e ao efeito Doppler, veio revolucionar o mundo da imagiologia, da obstetrícia, da cardiologia, da angiologia entre outros.
Porém, a sua execução requer um treino adequado para que não se caia em erros de diagnóstico. Muito especialmente o ecodoppler venoso requer além dos conhecimentos básicos necessários, um conhecimento aprofundado em hemodinâmica.
Na verdade, os conhecimentos e o treino do examinador são mais importantes que o equipamento propriamente dito.
Se a ecografia está relacionada com o estudo da imagem na maioria das disciplinas, já a sua aplicação ao estudo das veias não é linear e um conhecimento de aprofundado de hemodinâmica é absolutamente necessário para que o examinador forneça um exame de qualidade e útil ao posterior tratamento do paciente.
É um exame inócuo, o paciente não é exposto a radiações, pode ser usado em qualquer idade, não necessita de preparação (salvo para estudar os eixos venosos abdominais).
A importância deste exame, no caso do estudo da insuficiência venosa crônica, não se limita a confirmar que esta insuficiência existe. Sendo um exame predominantemente hemodinâmico e dado o desenvolvimento que tem sido feito no campo do tratamento das varizes, este exame deve fornecer indicações ao cirurgião sobre as possibilidades de restabelecer a drenagem do sistema venoso superficial.
É indispensável a exatidão destas informações e a elaboração de uma cartografia detalhada quando está previsto efetuar um tratamento conservador. Sobre esta cartografia o cirurgião, ou o hemodinamista que efetuou o exame, marcará os pontos passíveis de correção cirúrgica.