Nosso Contato

41 3077-5060 De segunda a sexta das 8h às 18h / sábado das 09h às 12h


Carótidas


As artérias carótidas são as principais responsáveis por levar sangue oxigenado ao cérebro.
Com o avançar da idade, essas artérias podem apresentar obstruções ao fluxo sanguíneo cerebral, em geral pelo depósito de placas de colesterol e cálcio, que levam a uma diminuição da quantidade de sangue e oxigênio no cérebro.
Em um dado grau de obstrução, esta pode causar um acidente vascular cerebral (AVC), seja pelo entupimento das carótidas ou por descolamento de pequenas placas de gordura, que entopem pequenas artérias no interior do cérebro.

O diagnóstico pode ser realizado precocemente, através da realização preventiva de um simples exame de Ultrassom com Doppler, geralmente solicitado pelo cardiologista ou cirurgião vascular em todos os pacientes que realizam o seu check up vascular anual ou apresentam algum sinal ou sintoma de alerta.
A partir do diagnóstico, seja pelo exame de Doppler, seja pela presença de sintomas compatíveis com um AIT (ataque isquêmico transitório) ou mesmo um AVC, o paciente deve ser avaliado por um cirurgião vascular.
Este profissional é o único capaz de oferecer todas as modalidades de tratamento disponíveis.

Dependendo do grau de obstrução das artérias e da presença ou não de sintomas, o tratamento pode variar desde a mudança de estilo de vida e medicações até a necessidade de uma cirurgia. O cirurgião vascular pode realizar dois tipos de tratamento, a cirurgia chamada endarterectomia, ou seja, retirada das placas do interior da artéria, ou a angioplastia de carótida, onde através da técnica endovascular, delicados balões e stents são utilizados para desobstruir as artérias doentes. Cada paciente deve ter a conduta individualizada, pois nem todos os pacientes podem ser submetidos ao implante de stents com segurança; nesses casos a cirurgia tradicional é mais indicada.